14:07hs
Quinta Feira, 18 de Julho de 2024
São Lourenço - Notícias
02/03/2017 09h01

Município distribui diariamente cerca de 300 vacinas contra Febre Amarela

Distribuição dos casos e óbitos confirmados por febre amarela, segundo faixa etária, Minas Gerais, 2017

Minas Gerais está sob alerta em relação à febre amarela.  Desde o início do ano, o Estado já contabilizou 1.048 casos notificados da doença. Desse total, 251 são casos confirmados. Minas Gerais já tem 91 mortes causadas pela doença, de acordo com o último boletim, divulgado em 26 de fevereiro, pela Secretaria de Estado de Saúde. Em São Lourenço, no entanto, ainda não há nenhum caso confirmado.

De acordo com a gerente de vigilância epidemiológica, Ariléia Nascimento, a vacina contra a febre amarela é distribuída, diariamente, em sete UBS (Unidades Básicas de Saúde) da cidade. Em média, são aplicadas no município 300 doses da vacina por dia.

A medida mais importante para prevenção e controle da febre amarela é a vacinação. Por este motivo, o Ministério da Saúde alerta que, toda a população que reside ou que se desloque para regiões silvestres, rurais ou de mata de áreas com recomendação de vacina (ACRV), deve se imunizar.
A maior frequência da Febre Amarela ocorre entre os meses de dezembro e maio, período com maior índice de chuvas, quando aumenta a proliferação do vetor, o que coincide ainda com maior atividade agrícola.

Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias.

A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.

Em área rural ou silvestre, a infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela, ou tomado a vacina contra a doença, circula em áreas florestais e é picada por um mosquito infectado, o Haemagogus e o Sabethes. Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes aegypti – o mesmo da Dengue, Zika e Chikungunya – no meio urbano. No entanto, desde 1942, a febre amarela urbana não é registrada no país.

07 PONTOS DE VACINAÇÃO NO MUNICÍPIO:

UBS Vila Carneiro
UBS Porta do Céu
UBS São Lourenço velho
UBS Carioca
UBS Nossa Senhora de Lurdes
UBS Biquinha
Policlínica Municipal

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone: (35) 99965-4038
E-mail: comercial@correiodopapagaio.com.br