14:10hs
Quinta Feira, 18 de Julho de 2024
São Lourenço - Notícias
02/02/2017 10h35

Pela segunda vez na Secretaria Municipal de Saúde, Cid Pinheiro fala sobre os planos da nova gestã

O novo secretário destaca a necessidade da informatização do sistema público de saúde do município

Cid Pinheiro de Oliveira

Cid Pinheiro de Oliveira é natural de São Paulo mas tem laços com a cidade de São Lourenço há 38 anos. O novo secretário é gestor médico hospitalar e teve sua primeira atividade na cidade em 1979, convidado por um grupo de médicos para compor a diretoria do Hospital de São Lourenço, na qual atuou durante cinco anos. Retornou à São Paulo e, dois anos depois, foi convidado para retornar a Minas como secretário de Saúde Municipal de São Lourenço em 1987. Deixou a secretaria para candidatar-se ao cargo de vereador, no qual atuou até 2000. Hoje, 16 anos depois, retorna para atuar mais uma vez como Secretário Municipal de Saúde.

Em entrevista ao jornal, Cid aponta que as melhorias para a saúde pública no município não estão atreladas exclusivamente ao dinheiro. “Há de se entender o seguinte falta de dinheiro é sempre uma desculpa muito grande. Dinheiro é importante? É, mas a gente tem que pensar que, se o dinheiro é menor, a competência de gestão tem que ser maior porque uma coisa tem que compensar a outra.”

Entre as primeiras ações da nova gestão está a informatização do sistema e a  maior integração digital entre as unidades de atendimento. “Nós temos que reestruturar o nosso pessoal, repor as condições de trabalho das unidades básicas e, principalmente cultura, educação continuada,  troca do software para atender realmente aquilo que a gente quer. Isso tudo começa a partir de fevereiro em diante”, declara.

Sobre o início do trabalho de capacitação dos funcionários para esta mudança, o secretário conta que ele começou com objetivo de promover uma maior integração dos funcionários com reuniões de toda a equipe e, posteriormente, com reuniões organizadas por segmento. As reuniões são importantes pois, além da integração da equipe, elas permitem uma maior integração entre a secretaria e os funcionários da rede pública de saúde. Cid comenta que os funcionários não só ficaram cientes das mudanças e da informatização do sistema como também ficaram satisfeitos em receber capacitação para essa transição. “Sabem que vão ter essa capacitação, aliás desejam isso, acima de tudo” relata.

Crise nacional

É da ciência de todos que os municípios no Brasil estão, em sua maioria, com um grande déficit monetário, questionado então sobre a viabilidade de colocar os planos da nova gestão em prática o secretário não tem dúvidas. “A crise no Brasil está em qualquer lugar, no entanto, você tem estados e municípios se reorganizando, renegociando dívidas, São Lourenço também está fazendo isso, então é possível. As  propostas iniciais para São Lourenço não são  vinculadas necessariamente à verba, são mudanças de uma coisa chamada cultura, esse é o primeiro passo.”

Ainda de acordo com o secretário, a primeira reorganização que o município precisa viver tem início no indivíduo e na sua cultura. “O que eu preciso ter na verdade é uma coisa muito abstrata e subjetiva, chama-se: desejo. Eu quero fazer, eu gosto de fazer. Essa cultura que tem que começar a nascer”, reflete Cid.

Centro Viva Vida

No último ano o centro Viva Vida de São Lourenço, serviço Especializado de Atenção à Saúde que atende homens, mulheres, crianças e idosos dos 24 municípios do Consórcio Intermunicipal de Saúde Circuito das Águas, viveu um grande atraso no repasse de verba do Estado. A prefeitura então, para garantir o recebimento dos recursos, entrou com uma Ação Ordinária com Pedido de Tutela de Urgência contra o Governo de Minas Gerais.

Cid Pinheiro fala sobre a atual situação monetária dos Centros Especializados do município. “A Saúde Mental, por exemplo, tem o valor de caixa superavitário, o valor excedente é transferido para o Centro Viva Vida. Porque a ideia não é sobrar ou faltar e sim dar assistência. Então hoje isso atrasa? Atrasa, mas não esta faltando, podemos dizer assim, pelo menos messe primeiro momento. Olhando as transferências do ano passado, não vi algo de muito problemático, atrasos há, não há duvida”. Descreve.

Reformas e UBS

Segundo Cid Pinheiro, entre os primeiros passos da gestão, está o levantamento das reformas necessárias nas unidades básicas de saúde, declara ainda que pequenas manutenções na pintura e nas trincas das unidades serão feitas logo, porém, obras maiores, como por exemplo, a UBS do bairro Sonda e UPA (Unidade de Pronto Atendimento) ainda estão sendo planejadas. O secretário aponta como prioridades, além das obras na UPA e na UBS do bairro Sonda, a mudança de local do DST Aids e melhorias das unidades básicas do município “inclusive da Biquinha,  Nossa Senhora de Lourdes e Canaã. Explica que existe um cronograma de prioridades a ser seguido, e este deve ser estabelecido em acordo com o Conselho Municipal de Saúde.

Sobre os prazos para o início dessas ações o secretário esclarece que ao longo do mês de fevereiro alguns projetos serão enviados a Câmara Municipal em prol do desdobramento dessas questões. “O que eu imagino é que 1º de março solte as amarras”, comenta.

Especialidades em falta e contratação de funcionários

O secretário destaca também a necessidade de reposição de especialidades médicas em déficit no município. “Não é questão necessariamente de verba, mas é questão de falta de profissional, vai ter também concurso para isso”, explica.

Afirma que há contratos em andamento para o próximo mês com duas especialidades médicas: Otorrinolaringologia e Oftalmologia. O novo gestor aponta também a realização de concursos para reposição de funcionários “entrada seletiva, uma série de entradas legais para começar a repor pessoas diante da lei”, afirma. Já foi realizado no município um concurso para a contratação de médicos e enfermeiros para o Programa Saúde da Família (PSF), cujas posses serão dadas ao longo do ano.

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone: (35) 99965-4038
E-mail: comercial@correiodopapagaio.com.br