00:05hs
Quarta Feira, 29 de Maio de 2024
São Lourenço - Notícias
05/12/2017 14h57

XIII Festival de Artes Cênicas inter-escolares - 2017

Tradicional evento em parceria com escolas é um sucesso

A prefeitura Municipal em parceria com a Secretária de Educação, realizou durante os dias 22 a 29 de novembro a 13° edição do Festival de Arte Cênicas em parceria com as escolas Municipais.
O primeiro dia de evento, contou com a apresentação de duas escola. A primeira a se apresentar foi a CEMEI Noêmia Goulart, que está localizado no bairro São Lourenço Velho, atendendo 270 crianças de 04 meses a 5 anos de idade.
O Cemei Professora Noêmia Goulart Ferreira apresentou uma adaptação da peça: “A raposa e o rouxinol” da autora Ana Maria Moura, intutulada “A Magia das diferenças”. A confecção do cenário foi feita com material reciclado e com a participação dos nossos alunos.
“Desde muito cedo as crianças tem contato com discursos negativos relacionados ao preconceitos, rótulos e discriminação. O tema foi escolhido pois possibilita trabalhar as diferenças na construção da identidade das crianças, proporcionando situações que priorize a interação entre todos, de forma que se respeitem, dando assim o primeiro passo para um adulto sem preconceitos “ afirmou Maristela Pereira, diretora da peça.
A segunda apresentação da noite ficou por conta da E.E. Antônio Magalhães Alves, do ensino fundamental II do bairro Vila Nova. Que trouxe a peça “Fontes Secam, Lobato Vive!”, com a direção de Monize Guimarães. O peça é uma adaptação de um dos inúmeros contos de Monteiro Lobato que levanta a conscientização sobre o uso irracional da água. Uma peça que trouxe uma importante reflexão para os dias atuais e principalmente para o nosso município. Além do resgate com temas folclóricos importante para a formação das crianças.
No segundo dia de apresentação, quem abriu a noite foi a CEMEI Santa Marcelina, que trabalha com educação infantil,localizada no bairro da Estação. Os alunos apresentaram várias estórias infantis em uma só, com a apresentação “Conte outro conto”, demonstrando o poder do bem contra o mal, onde o amor vence a mentira, a falsidade e a maldade.
“Todo adulto que já foi criança feliz dormiu ouvindo fábulas, com personagens irreais, mas de moralidades reais – e que criança – só entende se cada personagem dessa moral for imaginável, elas conseguem assimilar que a única realidade está no que ouvem ou vejam por atos deles, e então percebem gratuitamente que a imaginação é poderosa, simples e prática” afirma Maria de Fátima Pinto Corrêa, autora da peça.
A segunda apresentação da noite ficou por conta dos alunos do Curso Técnico de Enfermagem do colégio COC Gênisis, que trouxe a peça “Mundo Utopia”.
A programação retornou no dia 27, com as apresentações das Escolas Municipais Ismael Junqueira de Souza e Ida Mascarenhas Lage.
A E.M.Ismael Junqueira, com alunos do ensino fundamental, localizada no bairro da Federal, trouxe a peça “ A menina e o vento”, uma adaptação do livro de Maria Clara Machado, e teve como direção o prof. Ralph. Uma história de aventura e muito mistério. Divertindo a todos os que estavam ali presentes.
Já a escola Ida Mascarenhas Lage, com alunos do ensino fundamental e localizada no bairro Monte Verde, trouxe a emocionante adaptação do livro “ O pote vazio” de Demi, que foi adaptado pela prof. Jaqueline. A arte primorosa e a bela simplicidade do texto de Demi mostram como o fracasso constrangedor de Ping se transformou em triunfo, nesta bela fábula sobre a honestidade recompensada.
A penúltima apresentação ficou por conta da Escola de Educação Especial - Escola Esperança APAE, com a peça “ Escolinha do Professor Raimundo”, com adaptação de André Silva e Rafael Janke. Adaptação do programa televiso que representa uma sala de aula tradicional onde o professor precisa se desdobrar para lidar com os mais variados aluno. As dificuldades da profissão, as brigas entre alunos, fazem o Professor Raimundo agir com bom humor e ir levando sua aula. Eles representam aspectos e personalidades diferentes que realçam as dificuldades e a perseverança necessária para o bom convívio no ambiente escolar, principalmente se tratando de Educação Inclusiva. De uma forma bem humorada, mostraram que precisamos sempre respeitar a diversidade.
Finalizando a semana do Festival, a CEMEI Carolina Forastiere Junqueira – Mãe Grande, escola de ensino infantil- maternal até 03 anos, que trouxe a apresentação da peça “Uma história colorida sobre pássaros falantes e o Super poder do amor” um texto Original de Simone Carvalho.
“É um texto original escrito para encantar e aliviar os corações. Entre canções e diálogos os passarinhos coloridos e falantes descobrem que há super poderes de todos os tipos e que precisamos estar atentos para descobri-los e aceitá-los.” Comenta a autora e diretora.
O festival foi um sucesso de organização, dedicação por parte dos profissionais e alunos. Mostrando que as Escolas Municipais são repletas de talentos escondidos, que precisam ser valorizados e lapidados para que a cidade tenha cada vez mais apresentações como essa.


PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone: (35) 99965-4038
E-mail: comercial@correiodopapagaio.com.br